Facebook   Twitter
BANNER COVID
  • Home

Aviso à População n.º 04/2021 | RECOMENDAÇÕES DA PROTEÇÃO CIVIL | CONDIÇÕES METEOROLÓGICAS ADVERSAS - MEDIDAS PREVENTIVAS

aviso popula

Situação Meteorológica:

De acordo com a informação disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê-se, de 06 a 08 de fevereiro, tempo frio, vento e neve, salientando-se:

Amanhã, 09FEV:

  • Precipitação Forte e persistente no Norte e Centro.
  • Período mais crítico: 00 e 12 UTC
  • Queda de neve descendo gradualmente a cota para 1000 metros nas Regiões Norte e Centro.
  • Possibilidade de trovoada (tarde) e queda de granizo no Norte e Centro.
  • Redução de visibilidade devido a ocorrência de precipitação.
  • Vento até 45 km/h do quadrante oeste, com rajadas até 110 km/h nas terras altas.
  • Persistência de vento forte com rajadas durante um longo período de tempo com ligeiro desagravamento durante a manhã no Norte.

Quarta e Quinta, 10 e 11 de FEV:

  • Neve até ao início da manhã pode chegar à cota de 1000 metros Rajadas e até 90 km/h nas terras altas, até ao início da manhã.
  • Precipitação, em especial no Norte e Centro.

Acompanhe as previsões meteorológicas em www.ipma.pt
Acompanhe as medidas preventivas da saúde (frio) em www.dgs.pt

Efeitos Expectáveis:

Face a este quadro meteorológico, poderão ocorrer os seguintes efeitos:

  • Piso rodoviário escorregadio por eventual acumulação e formação de lençóis de água;
  • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
    Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • Ao arrastamento para as vias rodoviárias de objetos soltos, ou ao desprendimento de estruturas móveis ou deficientemente fixadas, por efeito de episódios de vento forte, que podem causar acidentes com veículos em circulação ou transeuntes na via pública;
  • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte, bem como de afetação de infraestruturas associadas às redes de comunicações e energia;
  • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência;
  • Incêndios em habitações, resultantes da má utilização de lareiras e braseiras ou de avarias em circuitos elétricos;
  • Eventual formação de gelo em troços de estradas com ensombramento permanente;
  • Aumento do risco associado ao tráfego rodoviário, quer pela queda de neve nas vias, quer pela formação de gelo;

Medidas Preventivas:

O Serviço Municipal de Proteção Civil (SMPC) recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:

A nível da proteção individual:

  • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível acumulação de neve e formação de lençóis de água nas vias;
  • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • Proceder à colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte;
  • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

A nível a proteção coletiva:

  • Que se tenha em atenção a condução em locais onde se forme lençóis de água na estrada, adotando uma condução defensiva;
  • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • Nas vias afetadas pela acumulação de lençóis de água na estrada, são desaconselhadas viagens com crianças, idosos ou pessoas com necessidades especiais;
  • Evitar circular naquelas vias com veículos pesados, em particular articulados, veículos com reboque e veículos de tração traseira;
  • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • Ter especial cuidado na circulação junto das zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis;
  • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

Consulte o documento aqui.

Usamos próprios e cookies de terceiros para melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar considera aceitar a nossa política de cookies. Política de Privacidade